Análise | Review The 100 S06E09 – “What You Take With You”

0

CUIDADO COM SPOILERS! Essa é a análise do nono episódio da 6ª temporada de The 100.

Apesar de tudo que acontecia em Sanctum e no plot da Clarke/Josephine, é preciso dizer que um dos maiores (senão o maior) destaque desse episódio foi Octavia. Já faz muito tempo que não vemos a personagem mostrar algum indício de quem ela era lá no começo da série, antes de tantas coisas acontecerem e a transformarem de uma forma muito intensa. Demorou muito, mas como comentei na análise do episódio S06E02 – “Red Sun Rising”, o arco de Octavia nessa temporada é sua própria redenção. Antes de ser perdoada por Bellamy e outras pessoas que a amam, ela precisa se perdoar primeiro.

Esse episódio foi o ponto inicial para essa trajetória da Octavia na tentativa de recuperar, pelo menos um pouco, a essência dela mesma. Embora ela já estivesse dando sinais no início da temporada de que não estava mais se sentindo bem com quem ela se tornou, acredito eu que a Anomalia tenha sido importante. Afinal, foi isso que fez com que Gabriel a colocasse em uma espécie de alucinação semelhante àquela provocada pelo sol vermelho – e essa foi a melhor parte do episódio. 

Foi surpreendente ver que Pyke foi a primeira pessoa a aparecer para Octavia, talvez pelo fato de ela tê-lo matado a sangue frio e sem que ele tivesse chance de defesa ter representado um dos primeiros sinais de que ela estava se transformando em outra pessoa, mesmo que tenha sido um ato por vingança. Ver Octavia ser enfrentada pela Blodreina, então, foi uma cena ainda mais impecável, principalmente por terem colocado a cena da execução de Lincoln como uma forma de fazê-la lutar contra sua outra versão.

Aliás, preciso destacar um ponto: é triste ver que toda essa cena na mente de Octavia teria sido ainda mais especial se houvesse uma nova participação de Ricky Whittle, ator que interpretava Lincoln na série, já que ele deveria ser a primeira pessoa que ela encontraria. Ele, certamente, teria coisas importantes para dizer a ela que fariam muito mais efeito e a ajudariam nesse momento. Isso, infelizmente, não foi possível porque o ator saiu da série após uma briga com o produtor.

Fico me perguntando o que teria sido mostrado para Octavia se ela tivesse escolhido a caixa verde. Vocês também ficaram com essa dúvida?

Divulgação: CW

Enquanto isso, uma questão mal resolvida era finalmente consertada em Sanctum. Qualquer pessoa que conheça Kane sabe que ele não aceitaria viver em um corpo que não era dele, principalmente após ver que a pessoa que se sacrificou para isso acontecer tinha uma família. Isso tudo, pelo menos, serviu para que finalmente acordassem a Indra, uma personagem que estava fazendo muita falta nessa temporada tão intensa. Foi surpreendente ver que ela chegou até a concordar com o que estava acontecendo se fosse uma maneira de sobreviver, mas senti que a Raven deveria ter contado a parte em que mataram Clarke para uma Prime seguir com sua imortalidade.

LEIA TAMBÉM: Henry Ian Cusick, intérprete do Kane, se despede de The 100 após 6 anos na série

Aliás, esse é um fato que parece estar sendo ignorado por uma parte dos personagens. Todo o restante do grupo sabe o que aconteceu, mas ninguém decidiu falar sobre isso com a Abby? Ela nem ao menos percebeu que a filha estava diferente ou que estava desaparecida – uma das coisas que me faz sustentar o pensamento de que essa personagem está fazendo hora extra na série.

Volto, também, a repetir algo que segue me incomodando nessa temporada: Raven é uma personagem tão incrível para simplesmente deixarem ela de lado nos episódios, apenas complementando sem muito destaque um plot da Abby, que sequer é alguém com quem ela se dá bem. Será que os roteiristas não conseguiram pensar em nenhuma outra forma de fazer Raven ser útil em tudo que está acontecendo? O que vocês acham disso?

Divulgação: CW

O arco de Clarke/Josephine ficou ainda mais interessante. É claro que ninguém esperava que os dois fossem capturados pelos Filhos de Gabriel tão cedo e que Josephine quase seria morta após notarem o sangue escuro, mas o ponto alto desse plot foi ver a troca de controle das mentes – além de descobrir que Clarke vê e escuta, sim, tudo que Josephine vive. Num momento em que Josephine precisava de alguém que sabe lutar, ela decidiu devolver o controle para Clarke assumir o corpo e conseguir escapar dos Filhos de Gabriel, mas quem diria que ela não conseguiria recuperar esse controle tão fácil? 

Bellamy deve conseguir acompanhar Clarke antes que ela encontre Gabriel, mas esse definitivamente será um encontro interessante. Vale lembrar que o corpo de Clarke está sofrendo com a coexistência das duas mentes, por isso o tempo é, agora, o maior inimigo nessa temporada. Quais são os palpites de vocês para o próximo episódio?

LEIA TAMBÉM: Mente de Clarke está em estado crítico no trailer do episódio 10

Considerações finais sobre o episódio:

– Minha posição sobre Kane é a mesma sobre Abby: o personagem já estava fazendo hora extra. Mas, ainda assim, sua despedida na série foi uma boa cena.

– Bellamy dizendo que não iria deixar Clarke morrer foi a coisa mais bonita que ele poderia ter dito naquele momento. Tão simples, mas tão especial!

– Octavia com rostinho de primeira temporada foi o que eu pedi, sim <3

A 6ª temporada de The 100 é exibida todas as terça-feiras às 22h00 nos Estados Unidos pela CW. No Brasil, a Warner Channel exibe os episódios inéditos todas as quinta-feiras às 23h40.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS OFICIAIS: Twitter | Instagram | Facebook