Fã bissexual e deficiente comenta movimento contra The 100

0

ATENÇÃO: Esse texto não foi escrito por nossa equipe, é um texto de uma fã do EUA e a gente apenas traduziu afim de informar.

“No último mês, desde a morte de Lexa, vocês [fãs de Clexa] têm colocado o elenco e os escritores e Jason [criador de The 100] para fora do Twitter. Honestamente, eu não ficaria surpreso se quando Eliza Taylor voltasse e twittasse ao vivo, ela ficaria horrorizada por vocês.

A quantidade de vezes que eu tenho visto coisas do lado de vocês do fandom que tem me deixado doente, me feito querer chorar, me feito discursar por horas e horas. Eu vi vocês dizendo que Bellarke shippers deveriam morrer, que Clarke deveria morrer e Eliza deveria perder o emprego porque ela “odeia” trabalhar em uma série com alguns de seus melhores amigos, onde ela é a líder e desempenha um papel complicado. Eu tenho visto pessoas que eu adoro e respeito ficar com ódio de alguns membros tóxicos do fandom Clexa que eles têm tido ataques de pânico, eles pararam de se voluntariar para escrever em sites que amam, eles têm chorado porque vocês disseram para eles que eles são inúteis.

Agora, muitos de vocês estão justificadamente irritados sobre o momento da morte de Lexa e sua cena de sexo com Clarke, sobre como os escritores apoiaram vocês no Twitter – eles estavam animados em ter Lexa, eles também a amavam, o que é algo que muitos de vocês parecem ter esquecido – sobre como a morte de Lexa carrega um monte de semelhanças com lésbicas que foram mortas antes. E muitos de vocês já abandonaram a série. Eu já abandonei séries antes, às vezes só porque elas pararam de me interessar, e isso está bom. Você não deveria ter que explicar porque você está abandonando uma série. Alguns de vocês são pessoas incríveis e vocês shippam, mas infelizmente, os idiotas no fandom de vocês são barulhentos.

Da mesma forma, eu e outros como eu não deveríamos ter que nos sentir culpados por permanecer com uma série que nós amamos, que tem personagens que nos representam e são importantes para nós. Televisão existe para nos fazer sentir e The 100 existe para nos fazer pensar e nos fazer olhar para o mundo de maneiras diferentes e perceber que não há mocinhos nesse mundo ou no mundo de The 100. Estamos todos apenas tentando viver nossas vidas.

Ao tentar cancelar uma série que você está dizendo que a representatividade que proporciona para outras pessoas não importa. Muitos de vocês amaram Lexa porque ela era uma líder, porque ela não era definida por sua sexualidade, porque ela era poderosa e, mais importante, porque ela lhe deu esperança de um mundo melhor. Agora, eu sou bissexual e Clarke é uma representação diferente de qualquer outra na televisão. A bissexualidade de Clarke é apresentada no meio da segunda temporada, o que significa que vamos vê-la se apaixonar por mulheres e homens, algo que é tão raro na televisão. Sua bissexualidade é apenas mais uma razão pela qual as pessoas gostam de Clarke Griffin e sua bissexualidade sendo tratada como normal me dá esperança de que um dia eu não terei que escolher qual comunidade pertencer.

raven-the-100-texto-fa

Raven Reyes é uma personagem incrível. Eu quase sempre a trago à tona quando falo sobre The 100 e sobre o que a série faz bem. Por que? Porque eu sou deficiente e Raven falha e luta e ela se levanta de volta de uma maneira que eu nunca vi na televisão; de uma forma que representa a dor que as pessoas com dor crônica e com deficiência lidam todos os dias. Raven Reyes é inteligente, poderosa, amorosa, corajosa e durona e ela também é deficiente. Quando eu sinto que quero desistir, quando não ser capaz de ser normal se torna muito pesado para mim, eu olho para Raven. Eu olho para seu poder, sua força, para a maneira como ela nunca desiste, e eu me inspiro para tentar novamente. Raven Reyes me dá poder, ao contrário de qualquer outro personagem na televisão.

Eu mereço perder isso? Será que quem se relaciona com o papel de Bellamy como líder e PdC (pessoas de cor) merecem perdê-lo? Será que aqueles que se relacionam com o aprendizado de Kane merecem perder um exemplo de como às vezes os erros são necessários? Será que as pessoas que se relacionam com a luta de Octavia para pertencer merecem perder assistindo sua luta para encontrar seu lugar? As pessoas que se relacionam com o papel de Abby como mãe merecem perder vendo-a encontrar o equilíbrio entre deixar seu filho ir e amá-lo?

Você está dizendo que nós merecemos perder essa série, esses personagens, essas relações, porque uma atriz convidada passou a interpretar uma comandante lésbica durona que morreu. Isso é totalmente injusto.

Quando lésbicas se tornaram as guardiãs da representatividade? Quando lésbicas se tornaram as guardiãs da representatividade LGBT? Quando lésbicas se tornaram as guardiãs da representatividade deficiente?

Lexa morreu porque queria mudar o sistema. Ela morreu porque acreditava na ideia de que “sangue não se paga com sangue”. Perguntem a si mesmos se o cancelamento da série é algo que seu ídolo apoiaria. Eu acho que não. Pessoas são humanas; elas não têm o conhecimento e as experiências de cada outra pessoa que andou na terra, e elas cometem erros.”

O texto foi publicado originalmente no The Fandom Files.

A 3ª temporada de The 100 é exibida todas as quintas-feiras no EUA pela emissora CW. No Brasil as exibições acontecem nas segundas-feiras às 22:50h na MTV.

Quer ficar por dentro de TUDO sobre a série e os livros? Acesse nosso site diariamente e nos siga no Twitter: @The100Brasil