BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates


Início » Alycia Debnam-Carey » Lexa, sua luta não acabou!

Lexa, sua luta não acabou!

Quero começar dizendo que escrevo esse artigo como fã, e não como crítico como costumo fazer aqui no The 100 Brasil. Se você acompanha nosso trabalho pelo Twitter (@The100Brasil) pode perceber que Lexa sempre foi uma das nossas personagens preferidas, uma das nossas personagens queridinhas da série.

Hoje venho aqui com a maior tristeza que já tive sendo fã dessa série falar que Lexa morreu. É difícil falar de alguém que não é real, é difícil ter sentimentos por um personagem de uma série de TV. Mas Lexa era mais que isso, ela era não era apenas mais uma personagem de uma série de TV.

A personagem de Alycia Debnam-Carey tinha tudo para não ser querida pelo público, que está acostumado com homens cisgêneros tendo todo destaque na televisão, que está acostumado em ver mulheres sendo submissas de homens. Então Lexa chegou, ela veio para quebrar todos esses paradigmas, ela era mulher, lésbica, comandante líder de seu povo. Seu gênero, orientação sexual, nunca importaram. Ela era simplesmente forte, única e verdadeira.

Uma personagem que fez milhares de jovens se sentirem representados, uma personagem que fez milhares de pessoas se sentirem mais fortes, que pode ensinar pessoas a como superar suas fraquezas. Que morreu, mas que com certeza nunca será esquecida.

Ela merecia mais! Merecia presenciar a criação do novo mundo, aquele em que ela começou a construir aos poucos junto a Clarke, um mundo onde violência não fosse a resposta para tudo. Um lugar onde ela pudesse finalmente encontrar a paz e pudesse viver a felicidade novamente.

Ela se foi, mas aprendeu muito no caminho. Ela errou, fez o que achava ser certo pelo seu povo e quando finalmente percebeu que a vida era mais que sobrevivência, acabou morrendo por amor, ao qual ela sempre considerou uma fraqueza.

Os únicos perdedores de sua morte são os fãs e a própria série, mas ainda assim presenteados por ter tido a oportunidade de acompanhar um pouco da história dessa líder, que com certeza mudou o futuro da série, e o pensamento de muitos espectadores.

Lexa se foi, mas seus ensinamentos não. Sua história e seu legado continuam vivos, sejam eles na série ou em nossas vidas reais. Iremos lembrar de Lexa sempre, não apenas como uma personagem que morreu em The 100, mas como um exemplo de nossas lutas, como um exemplo de igualdade.

Dou adeus a uma das minhas personagens preferidas de todos os tempos, a que mais me emocionou, que mais me ensinou, e que ainda vai continuar sendo um exemplo em minha vida pessoal.

Obrigado Alycia por ter dado o seu melhor por essa personagem, por ter mergulhado de cabeça no projeto, por ter aceitado um papel que muitos teriam rejeitado, por não ter medo em interpretar uma personagem lésbica, por representar uma cambada de fãs mundo a fora.

Lexa, sua luta não acabou!

Sobre Guilherme Guckert

Guilherme Guckert
Apaixonado por livros, filmes e séries - busca nesses meios um refúgio da realidade, viver novas emoções e conhecer novos mundos. – Conhecido por ser a pessoa mais chata por The 100 no mundo, fala Trigedasleng quando está sozinho em casa.
  • Sthefani Cordeiro da Silva

    Texto emocionante… Representando muita gente!

  • Laís Ramos

    Como uma jovem mulher negra, eu entendo como esse lance de representatividade é importante,e me identifico com a dor dos fãs LGBTA+ apesar de se hétero, e como fã louca pela Lexa, também me sinto frustrada, mas o ponto é que a Alycia tem um compromisso contratual com a AMC como personagem regular de Fear The Walking Dead e, por mais que os showrunners tenham se esforçado, conseguiram adiar o conflito de agendas apenas por mais ou menos sete episódios da atual temporada (aqui o link da entrevista do Jason Rothenberg para o site IGN explicando a situação: http://www.ign.com/articles/2016/03/04/the-100-showrunner-on-the-huge-lexa-reveals-and-shocks-in-thirteen)…
    Ainda assim, como você bem disse, devemos celebrar a existência ainda que curta dessa personagem que rompeu com padrões de gênero e sexualidade e com estereótipos idiotas relacionados à mulheres lésbicas na mídia em plena TV aberta americana — a CW é um canal de TV aberta lá, e é um canal voltado para o público teen…Ou seja, Lexa, durante sua relativamente curta presença em The 100, sambou na cara da família tradicional americana… 🙂 –, e que inspirou vários fãs ao redor do mundo a aprender a amar a si mesmos ainda que o status quo diga o contrário…
    Sem contar que, se a Lexa não tivesse sido introduzida na série e se a Alycia não tivesse feito um trabalho brilhante em parceria com a Eliza, a Clarke não seria estabelecida como bissexual no cânone da série, e, sendo assim, não seria uma personagem pioneira como uma protagonista abertamente queer de uma série da TV aberta — repito, TV ABERTA — americana…
    A luta da Lexa pode ter acabado, mas o espírito dela permanece em todos os seus fãs…
    Reshop, Heda.

  • Edla Ribeiro

    Incrível. Através desse texto você representou todos os meus sentimentos. Na verdade, não apenas o meu, mas de todos o fãs que tiveram a oportunidade de acompanhar e aprender junto com a Lexa. Sim, acredito que foi um erro a morte da Lexa. Por um momento tive vontade de nunca mais assistir The 100, mas isso seria pura imaturidade da minha parte e iria simplesmente jogar fora todas as mensagens passadas pela série durante as 3 temporadas. E se eu senti tal desejo, assim como vários outros fãs, foi devido ao incrível trabalho da Alycia, junto com todos os envolvidos na criação e realização dos personagens. A Alycia conseguiu captar cada sentimento envolvido na cena. Até aqueles em que não havia a presença de uma simples palavra, apenas um olhar, uma respiração, uma expressão. Só tenho que parabenizar todos os criadores da série, e é claro, a própria Alycia por passar tais mensagens através de seu incrível trabalho e talento. Me sinto em luto pela “ida” de uma das minhas personagens favoritas até hoje, diante todas as minhas séries assistidas. May we meet again!

  • Rafaela Estival

    Excelente texto! Faço das suas palavras, as minhas.

  • Rayssa Eulalia

    Muito triste a morte da Lexa, apesar de ser uma personagem fictícia, a morte dela com certeza me deixou muito triste, lógico faz parte para contar toda a história da IA mas achei um erro, preferia que tivesse matado qualquer um da série até o Bellamy menos ela :/ , já não vou ver a série com o entusiasmo de antes.

  • Sheila Albuquerque

    lindo

  • Louise

    Uma das coisas que eu mais gosto nesta série é o fato de que as mulheres estão sempre na linha de frente. São mulheres fortes, reais, que tomam a dianteira e que estão longe dos papéis clichês que geralmente a elas são reservados. Isso é lindo!

  • rhina

    Ainda hoje,domingo dia 06/03/16 estou sofrendo-e não é pouco- pela morte da Lexa. Fiquei desapontada (e completamente destruída ) com sua morte.Agora -na minha opinião – que deveria de fato desenvolver sua história com a Clarke e como grande e majestosa líder que era simplesmente foi morta da maneira mais simples que de fato merecia. A Lexa era peça fundamental na série, ela me conquistou completamente tanto que sendo apenas um personagem está sendo difícil de aceitar. E agora como será na série,tudo bem que para matar um dos mais queridos personagem tem que ter muita coragem em vista que ainda está na metade da temporada e confiança que a mesma não vai desmoronar porém como ficamos- os fãs. Em respeito ao grande trabalho da atriz que deu vida maravilhosamente a personagem e nós fãs deveria ter dito outro caminho. Estou triste ,arrasada. Seu texto lindamente me representou.

  • Mylena Lima Duarte

    E pra nós mulheres, uma atriz como ela já é um grande passo pra nossa coragem. Ela não devia ter morrido, velho, gosto muito de The Walking Dead, mas já teve a explicação de como tudo começou, a história em FTWD não deveria continuar. Eu ainda tenho algumas esperanças de vê-la novamente na série e a morte dela ter sido mentira. .-.

  • Amanda Oliveira

    Tem um olho na minha lágrima, texto incrível <3

  • Lary

    Eu acabei de ver o episodio agora e to chorando muito, porque ela. Porque?! Mas como vocês disseram, ela vai ser lembrada não apenas pela garota que morreu em The 100, mas como exemplo de pessoa! :'(

  • Batman Eterno

    Morreu tarde!

  • leandro albuquerque

    Tadinho como os gays são indefesos, ja vai tarde.