ATENÇÃO: A análise a seguir contém SPOILERS do terceiro episódio da quarta temporada de The 100. Leia por sua conta e risco!

“Das cinzas, nós vamos renascer” – Na review da semana passada, eu mencionei sobre como os pontos na história da série continuam ligados entre si mesmo ao passar do tempo. No início da primeira temporada, 100 pessoas foram mandadas para morrer na Terra e, agora com o novo apocalipse, somente 100 terão a chance de sobreviver. Chega a ser irônico a série voltar a trabalhar com esse número, não é?

Muitas coisas aconteceram nesse episódio. Em Polis, Roan conseguiu ter a capacidade incrível de deixar a Flâmula, que basicamente garante o trono dele, ser roubada. Gostaria muito de entender como ele conseguiu deixar isso acontecer, já que a Clarke carregava a caixinha com a Flâmula praticamente no peito, considerando a importância que o objeto tem (não dá pra jogar numa gaveta e esperar que ela fique por lá, né?). Mas enfim, ele procura Octavia para escalá-la na missão de encontrar o ladrão e descobrimos que ela agora é conhecida como Skairippa, algo como “a morte que vem de cima”.

O que não esperávamos que fosse acontecer é que o ladrão da Flâmula, no caso a ladra, é Gaia, filha de Indra. É interessante ver essa nova inserção na série, principalmente pelo tão pouco que sabemos sobre a vida de Indra. Pela breve aparição da nova personagem, já pode-se dizer que a filha de Indra não quis seguir o caminho que a mãe esperava e fugiu de casa para ser leal ao que acreditava. Foi interessante ver esse reencontro acontecendo com a presença de Octavia, a filha espiritual de Indra, que acabou bolando um plano para deixar Gaia escapar. Nada como um conflito familiar em pleno apocalipse, hein?

Enquanto isso acontecia, Arkadia estava passando por um grande processo de racionamento e forte economia de recursos, com boa parte do povo se unindo para trabalhar no conserto da nave. As coisas mudam drasticamente quando Nyko chega carregando pessoas feridas e pedindo ajuda médica, sendo Luna uma delas. Como eu bem disse na primeira review da temporada, o prazo de seis meses ainda estava longo demais para ser verdade; a radiação já está realmente batendo na porta deles e agora só restam dois meses para achar um jeito de sobreviver. Os animais já estão morrendo, o que me faz questionar de onde eles vão tirar comida pra comer caso consigam mesmo viver.

 

Nessa temporada, os produtores e roteiristas estão cada vez mais reforçando as decisões difíceis que alguém numa posição de liderança é obrigado a tomar, muitas vezes fazendo um ou dois sacrifícios por um bem maior. Raven está experimentando esse cargo, carregando nas costas o peso de ter que dizer não para a chance de salvar algumas vidas com remédios que seriam úteis para seu povo mais tarde. Não sei a opinião de vocês sobre isso, mas eu ainda vejo a Raven como a única pessoa com a cabeça no lugar nessa situação desesperadora. Ela está totalmente focada em fazer tudo funcionar para salvar o mínimo de pessoas que Clarke teria que escolher e, sabendo que em dois meses tudo estaria um caos, eu provavelmente também tomaria as mesmas atitudes que ela.

E falando em decisões difíceis, Clarke finalmente se rendeu aos pedidos de Raven e escreveu a lista que determinaria quem morreria e quem (talvez) sobreviveria ao fim do mundo. Não era nem preciso ver a expressão no rosto dela para saber como deve ser olhar para todas as pessoas que você conhece desde sempre e escolher quem merece viver. É praticamente brincar de Deus, não é? Bom, lista feita, tudo certo… exceto pelo fato de que a Clarke escondeu o papel embaixo de uma mesa. Tipo… sério, Clarke? Não precisa ser nenhum gênio para saber que essa lista vai cair nas mãos erradas e isso vai gerar um pânico geral e, no mínimo, uma revolta com a nossa líder.

Ao final do episódio temos a surpresa de ver Luna se curando da contaminação de radiação sozinha, sem ter feito nenhum tratamento. Obviamente o seu sangue Nightblood é responsável por isso, mas a questão é: será que encontramos uma solução? O sangue de Luna poderia servir para vacinar a população contra a radiação? Se essa informação for parar nos ouvidos errados, tenho receio de haver mais um povo de Mount Weather por aí, pronto para drenar alguém para sobreviver. Nunca se sabe, né?

Observações:

  • Ver Murphy em Arkadia roubando remédios para salvar alguém, igual seu pai fez com ele, foi maravilhoso. Espero que ele volte a fazer mais parte dos episódios.
  • Jaha falando sobre encontrar uma solução já me fez pensar em Cidade das Luzes 2.0.
  • Eu realmente espero que o Jasper não esteja na lista dos que vão sobreviver, porque olha…

A 4ª temporada de The 100 vai ao ar toda quarta-feira nos EUA pela CW. No Brasil a série será exibida pela Warner Channel em abril de 2017.

Quer ficar por dentro de TUDO sobre a série e os livros? Acesse nosso site diariamente e nos siga no Twitter: @The100Brasil