Se um dos escritores mais amados da fantasia “barra” terror “barra” sobrenatural declara seu amor para uma série pós-apocalíptica, você sabe que ela tem que ser boa. O autor americano Stephen King, cujo livros já venderam mais de 350 milhões de cópias, está por trás de best-sellers como “O Iluminado” e “Miséria”.

Talvez emergindo de uma sessão de observação de compulsão, ele recentemente usou o Twitter para compartilhar seu entusiasmo pela série The 100, da CW, cuja terceira temporada estreou em janeiro e está definida para retornar para uma quarta temporada.

“Totalmente viciado em The 100. Duro e propulsor.”

“Re The 100: Você pensa ‘Eles não estão realmente indo para lá, não é?’ E então eles vão. Indo para a 3 temporada.”

Com isso, ele repercutiu na review do A.V. Club do episódio 16, 2ª temporada, “Blood Must Have Blood: Part Two”.

“Muitas poucas séries conseguem realmente ultrapassar os limites do compromisso moral de uma maneira que parece legitimamente difícil. Breaking Bad conseguiu isso. The Sopranos fez conseguiu. Game of Thrones conseguiu. Essas séries nunca se afastam da escuridão filosófica de seus mundos, recusando-se a oferecer um final feliz se ele não parece certo. Com “Blood Must Have Blood: Part Two”, The 100 conseguiu fazer o mesmo, apresentando um final que não foge dos riscos moralmente complexos construídos durante todo a temporada.”

Ele também jogou algumas verdades sobre o que faz a série ser tão boa. Desde o contexto feminista…

“O que eu mais gosto em The 100 é a forte inclinação feminista. Nenhuma pregação, apenas história.”

… até o fato de que é tudo, menos ingênuo.

“O triste (mas verdadeiro) mantra que é repetido cada vez mais em The 100: ‘Não existem mocinhos’.”

Fonte: Movie Pilot

A 3ª temporada de The 100 é exibida todas as quintas-feiras no EUA pela emissora CW. No Brasil as exibições acontecem nas segundas-feiras às 22:50h na MTV.

Quer ficar por dentro de TUDO sobre a série e os livros? Acesse nosso site diariamente e nos siga no Twitter: @The100Brasil